Sauditas: Não atacamos petroleiro, Irã está provando do próprio veneno

Hoje de madrugada, mais um navio petroleiro do Irã foi atingido, desta vez no Mar Vermelho, entre o Egito e a Arébia Saudita.

O ministro das Relações Exteriores da Arábia Saudita, Adel al-Jubeir, abordou a explosão iraniana de tanques no domingo (domingo) – e negou o envolvimento do reino. “Nós não agimos assim – e nunca agimos assim”, disse Al-Jubeir. Falando a repórteres na capital, Riad, o ministro disse: “A investigação sobre o incidente ainda não terminou. É melhor esperar pelas descobertas antes de tirarmos conclusões”.

Os iranianos informaram que o ataque aos navios-tanque ocorreu na região às 5 horas da manhã de sexta-feira, a cerca de 60 quilômetros da costa do porto de Jeddah, na Arábia Saudita. Logo após o relatório, foi relatado que houve danos significativos ao navio-tanque – e por um tempo houve um vazamento de óleo na água.

Após os relatos do ataque dos petroleiros, os preços do petróleo subiram 2%, para US $ 54,6 por barril. Hoje, o preço é de US $ 54,1.

No contexto de um ataque às instalações petrolíferas sauditas no mês passado – pelos quais Riad e países ocidentais acusaram o Irã de ser responsável -, os Estados Unidos planejam enviar grandes forças militares para o reino. O porta-voz do Departamento de Defesa dos EUA, Jonathan Hoffman, disse que o Secretário de Defesa dos EUA, Mark Asper, ordenou tropas adicionais, que incluem pelo menos 2.000 soldados, dois pilotos de caça e duas baterias Patriot. Segundo o relatório, atualizarei o detido saudita Mohammed bin Salman sobre o assunto.