Tishá b’Av – Dia da Queda do Templo – 2014

Queda do Templo – Hoje se lembra em Israel o Tshá be’Av, ou seja o nono dia do mês de Av, dia que segundo a tradição judaica foram destruídos os dois templos de Jerusalém, o primeiro construído por Salomão e o Templo construído por Herodes.

Foi totalmente destruído por Nabucodonosor II da Babilónia, em 586 AEC, após dois anos de cerco a Jerusalém. Os seus tesouros foram levados para Babilónia e tinha assim início o período que se convencionou chamar de Exílio Babilónico ou Cativeiro em Babilónia na história judaica.

Décadas mais tarde, em 516 AEC, após o regresso de mais de 40.000 judeus da Captividade Babilónica foi iniciada a construção no mesmo local do Segundo Templo, o qual foi destruído no ano 70 EC, pelos romanos, em decorrência da Grande Revolta Judaica.

Alguns afirmam que o atual Muro das Lamentações era parte da estrutura do templo de Salomão, ou pelo menos dos seus pátios.

O Templo foi quase totalmente destruído pelas tropas do General e futuro Imperador Romano Titus Flávio, em 70 D.C., abafando aquilo que foi a Grande Revolta Judaica onde morreram mais de um milhão de judeus.

Uma primeira revolta acontecera em 136 a.C., e a terceira seria liderada pelo suposto Messias Bar Kochba em 135 DC.

A única porção do Segundo Templo que ainda hoje se encontra em pé, Muro das Lamentações. Neste dia judeus do mundo inteiro contumam jejuar e orar lembrando esta data como o início do exílio judaico ao longo de 2.000 anos de história.

Infelimente o que se encontra no local do templo é um santuário muçulmano onde esta o Domo da Rocha, sobre o Monte Moria, local onde Adonai escolheu para por aí o Templo erguido por Salomão.

Proibição Romana Impedindo os Judeus de Entrar em Jerusalem

No final do século IV, após a conversão do imperador Constantino ao cristianismo (313) e a fundação do Império Bizantino, a Terra de Israel se tornara um país predominantemente cristão. Foram construídas igrejas nos lugares santos cristãos de Jerusalém, Belém e da Galiléia, e fundaram-se mosteiros em várias partes do país. Os judeus estavam privados de sua relativa autonomia anterior, assim como do direito de ocupar postos públicos; também lhes era proibida a entrada em Jerusalém, com excessão de um dia por ano (Tishá beAv – dia 9 de Av), quando podiam prantear a destruição do Templo.

Acontecimentos na mesma data de Tsha beAv

As Destruições do Templo de Jerusalém

Este é um dos dias mais tristes da história judaica, nele se comemora a destruição dos templos : A destruição do promeiro templo construído por Salomão e o segundo templo construído por Esdras e Neemias e reformado por Herodes o Grande.

Os dois fatos ocorreram no mesmo mês e segundo a tradição, no mesmo dia, o dia nove do mês de Av, a diferença é que o primeiro ocorreu 556 anos antes da segunda tragédia.

Em relação a queda de Jerusalém existem ainda outros três dias que se estabeleceram que estão relacionado com ela. O dia 10 de Tevet quando se lembra o dia do início do cerco a Jerusalém, e o dia 17 quando foi feita a primeira fenda nas muralhas da cidade.

No dia 3 de Tishrei e conhecido como jejum de Gedalia, dia em que ele foi assassinado (I Reis 25:25 e Jeremias 41:2). Zacaria 7:5 e 8:19 mencionam a edificação do Segundo Templo.

No Êxodo

Neste dia, no ano de 1312 antes da Era Cristã, 16 mêses após a saida do povo do Egito, após terem saídos por orientação de Moiséis o Braço Forte de Adonai, os israelitas que tinha mais de 20 anos quando saíram de lá foram condenados a morte no deserto, e neste mesmo dia a entrada do povo na Terra da Promessa teria sido adiada quarenta anos, até que toda esta geração morresse.

As Cinco Calamidades no Judaísmo

Segundo A Misha laTorah, Taanit 4:6, existem 5 eventos que determinam o jejum em 9 de Av. Neste dia Moisés teria pedido aos espias para informarem ao povo sobre a Terra de Canaã, onde a maioria trouxe más notícias dizendo que não poderiam entrar na Terra Santa, onde os Filhos de Israel choraram e temeram entrar na Terra, Númeors capítulos 13 e 14.

OS Babilônicos sob o comando de Nabucodonozor teriam arrasado o Primeiro Templo no ano de 586 AC condenando a maior parte da população a ir para o exílio Babilônico, exílio que teve fim apenas setenta anos depois.

A Segunda destruição se deu no ano 70 da era cristã sob o comando do Genral Tito do Império Romano, este exílio manteve o povo afastado de Jerusalém por cerca de 2.000 anos de história.

Outro fato ocorrido foi a revolta promovida por Bar Khoba e Rabi Akiva contra os romanos, onde milhares de seus seguidores foram assassinados.

Segundo o Talmude a destruição do templo se iniciou no dia 9 de Av e terminou no dia 10 de Av quando as chamas destruiram todo o templo.

Outras calamidades do 9 de Av

Urbano II convocou as Cruzadas no ano de 1095

Queima dos Talmudes no ano de 1242

Eduardo I declarou o seu edito no ano de 1290 expulsando os judeus da Inglaterra.

O Decreto da Alhambra expulsando os judeus da Espanha foi proclamado no dia 3 de Agosto de 1492

Teve início a Primera Guerra Mundial no ano de 1914

No ano de 1942 teve início no Campo de exterminio de Treblinka as primeiras mortes dos judeus sob a determinação de Adof Hitler.

Em 18 de Julho de 1994 foram mortos 86 judeus e mais de 120 ficaram feridos em um atentado terrorista contra a associação israelita na Argentina por um grupo terrorista, provavelmente o Hezbollah.

O Holocausto (Shoah)

Muitos judeus haredim (ultraortodoxos) veem o dia 9 de Av como o dia real para a lembrança da morte dos 6.000.000 de judeus que foram mortos durante o holocausto