Turquia começa a atacar os curdos na Síria

O exército turco começou a bombardear ontem, posições do exército curdo no nordeste da Síria, poucas horas após o anúncio pelo presidente dos EUA da retirada das forças americanas da região.

A mídia curda informou que o exército turco estava destruindo posições da milícia curda do YPG na cidade de Hanik, perto do extremo nordeste da Síria, e cruzando a fronteira para a autonomia curda do Iraque. Ou seja, o massacre que estão promovendo não é somente na Síria, mas também no Iraque.

Os soldados turcos também atacaram sites de mídia curdos perto da cidade da Malákia, a oeste da fronteira com o Iraque. Ocorreram dois ataques na região no Curdistão, nenhuma vítima ainda foi relatada pela milícia curda.

Turquia terminou preparos para operação de grande escala

A Turquia já opera na região em pequena escala, com ataque aéreos limitados e operações em solo limitadas, mas estão planejando uma grande operação que poderá levar não somente a um massacre dos curdos, bem como a um novo êxodo na região.

O Ministério da Defesa turco anunciou que “todos os preparativos” para uma operação contra curdos no nordeste da Síria já foram concluídos – mas não especificaram quando pretendem iniciar. Uma autoridade do governo dos EUA se referiu a relatos de supostos ataques da Turquia contra os curdos na noite passada, dizendo que, por enquanto, ainda a Turquia não iniciou a operação. Ele enfatizou que a retirada dos EUA incluiria apenas entre 50 e 100 soldados, e que eles apenas se mudariam para outras áreas da Síria e não se retirariam por completo, ou seja, é uma retirada parcial.

Donald Trump volta a ameaçar

O presidente dos EUA, Donald Trump, alertou a Turquia que se eles ferirem tropas americanas em operações militares que ameaçam lançar contra curdos no nordeste da Síria, pagarão um preço muito caro. Um dos funcionários do governo deixou claro que, como parte da retirada anunciada ontem por Trump, da região na fronteira entre Síria e Turquia, cerca de 50 a 100 soldados dos EUA se mudarão para outras áreas na Síria.