Uma âncora bizantina achada na costa de Israel

Curso Herança Judaica do Novo Testamento
Âncora Bizantina

Uma Âncora de Ferro do período bizantino foi recuperado por uma equipe de resgate na praia de Bat Yam
e transferida para a Unidade de Arqueologia Marinha da Autoridade de Antiguidades de Israel.

A descoberta dessa âncora e mais outras, testificam a possibilidade da existência de um desconhecido e antigo ancoradouro no local da pesquisa.

A Âncora de Ferro antiga, do período bizantino (ano cerca de 1400-1700 anos), recentemente recuperada do mar por salva-vidas na praia. Com 2,1 m de comprimento e pesando cerca de 300 kg, foi descoberta a uma profundidade de cerca de 2 m abaixo da superfície e dentro de aproximadamente 30 m da costa.

Na primeira faze, equipes de resgate estavam Avi e David Mizrahi, esta é uma âncora moderna, mas depois, suspeitas surgiram que esta seria uma âncora antiga, com a ajuda da Câmara Municipal de Bat Yam, entraram em contato com o Israel Antiquities Authority, e relataram o incidente.

Inspetores da Unidade de Arqueologia Marinha da Antiguidades de Israel Autoridade chegaram e afirmaram que a âncora de ferro era do período bizantino (Séculos III a VI EC), e estava em excelente estado de conservação – o que indica que deve ter sido exposta recentemente, depois de ter sido enterrado há séculos sob a areia. Um levantamento realizado em mergulho, em conjunto com a equipe de resgate no local, outra âncora de ferro foi encontrada e idêntica a que foi achada no mar, e também – uma âncora de pedra mais antiga, com um buraco no topo.

De acordo com Dror Planer, oficial da Autoridade de Antiguidades da Arqueologia Marinha , “a descoberta desta âncora e das outras duas atestam a possibilidade de ter âncoras desconhecidas no estudo da antiguidade. Outra opção é que baracos que estvam a deriva procurando por abrigo na praia, naturalmente, por causa de uma súbita tempestade e naufragaram na costa um mar, perto do porto de Jaffa. Flanner acrescenta que duas âncoras de ferro foram encontradas e podemos concluir que eles não foram usados ​​e, talvez, as âncoras foram lançadas lá embaixo. No fundo do mar, ao longo da costa de Israel, há muitos restos antigos. Muitas âncoras de diferentes períodos também são evidentes nas rotas ao longo da costa por mais de 5.000 anos.

As Âncoras mais antigas conhecidas são de pedra, e foram usados ​​desde o tempo do transporte precoce – a partir do terceiro milênio AC. Estas âncoras tinham uma perfuração na parte superior, através do qual eram baixadas..

Nos últimos anos o comitê do IAA declarou que cresce o fenômeno de mergulhadores e pescadores que passam a relatar descobertas a Autoridade das Antiguidades. A remoção de antiguidades arqueológicas sem a devida documentação causa a perda de dados arqueológicos e um dano histórico importante e significativo para o património cultural marítimo do Estado de Israel. Artefatos antigos extraídos do mar depois que eles foram enterrados no fundo do mar por centenas e milhares de anos, livre de oxigênio no ambiente, umidade, salinidade e temperatura constante sendo pela primeira vez expostos a condições extremas que lhes causam grandes danos, às vezes irreversíveis.

Foto: Fiscal da Unidade de Arqueologia Marinha da Autoridade de Antiguidades, Dror Planer, com a âncora. Cortesia da Autoridade de Antiguidades de Israel