A Festa dos Tabernáculos

10 Motivos pelo qual todo cristão deve comemorar a Festa dos Tabernáculos

01. As raízes do cristianismo bíblico, evangélico, está no judaísmo. Deus fez parar por um instante a história de Israel, para criar espaço para os gentios (goim) Romanos 11:25 – Porque não quero, irmãos, que ignoreis este segredo (para que não presumais de vós mesmos): que o endurecimento veio em parte sobre Israel, até que a plenitude dos gentios haja entrado.

02. A igreja precisa amar sempre e andar de mãos dadas com Israel, a oliveira! (Romanos 11:17-18).

03. Em Zacarias 14:16, lemos: E acontecerá que todos os que restarem de todas as nações que vieram contra Jerusalém subirão de ano em ano para adorarem o Rei, o SENHOR dos Exércitos, e para celebrarem a Festa das Cabanas, dos Tabernáculos.

04. No milênio, Israel, a Igreja e Nações diversas comemorarão a “FESTA DOS TABERNÁCULOS”, anualmente – “de ano em ano!”.
05. Deve-se ter entendimento prático sobre a Igreja no sentido da reunião de todos os salvos em Cristo Jesus e não confundir Igreja local ou denominacional com a expressão maior, o Corpo de Cristo, a Noiva do Cordeiro que será arrebatada. A igreja local (estrutura, edifício, espaço físico e mais pessoas) é de grande importância bem como a freqüência dos seus membros como recomenda Hebreus 10:25 “Não deixar o seu local definido de adoração” (grego), como é costume de alguns.

06. A Promessa, a aliança de Deus, foi inicialmente com Abraão. O povo hebreu falhou muito em relação a esses propósitos. Todavia, Deus mantém o seu pacto com os Patriarcas numa aliança eterna (habrit olâm) a exemplo do Salmo 105:8-10 e Hebreus 6:13-18 – “Duas coisas imutáveis”: a Promessa e o Juramento!

07. Antigamente (ou quem sabe até hoje), alguns segmentos evangélicos diziam: “Nós somos o Israel de Deus”. Em certo sentido o somos, mas potencialmente falando, não. O Primeiro lembrete é que “Deus fez parar a história de Israel (Romanos 11:25) e abriu uma oportunidade para os gentios, a Igreja como Corpo de Cristo. Fechada essa oportunidade pelo Arrebatamento da Igreja, Deus voltará a tratar com Israel na 70ª Semana de Daniel, no período da Grande Tribulação.

08. A vocação da Igreja é andar de mãos dadas com Israel, os descendentes de Abraão, os irmãos de sangue de Jesus (cf. Mat. 25:40), nascido em carne, o Leão da Tribo de Judá! E registra Gálatas 3:7-9,14:” Para que a bênção de Abraão chegasse aos gentios por Jesus Cristo” “Os que são da fé são benditos com o crente Abraão”!

09. Especialmente, a partir de 14 de maio de 1948 (Criação do Estado de Israel, Isaías 66:8), há o mover do Espírito de Deus para a Igreja amar “ex-cordis”, de coração, a Israel. São muitas as caravanas que seguem para lá. E, por influência também da Embaixada Internacional Cristã em Jerusalém, milhares de Igrejas Evangélicas comemoram a HagSucot, a Festa dos Tabernáculos, na pré-visão de Zacarias 14:16 “As Nações subirão de ano em ano para adorarem o Rei, o Senhor dos Exércitos e para celebrarem a Festa das Cabanas”, dos Tabernáculos.

10. Nessa Festa, celebramos “há-Mélerh há- MelaHím”, O Rei dos Reis e “há-Adon ha-Adonim”, o Senhor dos Senhores, Ieshúa há-Mashia, Jesus o Messias, e demonstramos o nosso amor ao povo judeu e conscientizamo-nos, ainda, de Zacarias 2:8 – “Porque aquele que tocar em vós toca na menina do seu olho”.

Os comentários estão encerrado.