O Calendário Judaico

É muito importante salientar que o calendário judaico hoje não é o calendário bíblico, mas sem dúvida alguma está baseado nele. Com algumas regras acrescentadas afim de corrigir a diferença anual das estações e acima de tudo, uma mudança radical nos nomes, para os nomes do meses do calendário babilônico, entre eles, alguns que levantam suspeitas de serem nomes de deidades babilônicas.

O Calendário Judaico segundo a qual são realizadas as atividades do cotidiano de todos nós foi adotado para orientar a população judaica principalmente quando estava no cativeiro após a expulsão por parte dos romanos. A maioria dos habitantes de Israel vivem de acordo com o calendário internacional, Gregoriano, e em parte de acordo com o calendário Judaico. Esta convivência hoje com o calendário cristão-gregoriano não é prejudicial, é uma adaptação a realidade internacional, porém os ciclos de festas e memoriais, dias santos e meses judaicos continuam sendo observado principalmente pela população mais religiosa do país.

A fonte de todos os nomes dos meses do calendário judaico é do idioma Acádio, um antigo idioma da Babilônia babilônica. O acadiano era a língua falada e escrita pelos judeus na Babilônia durante o exílio logo após a destruição do Primeiro. Os nomes dos meses foram trazidos para Israel em Israel por Shavei Zion, ou seja, pelos judeus que voltaram da Babilônia para Israel Israel com Esdras e Neemias.

Os nomes dos meses que eram comuns em Israel antes do exílio babilônico não foram preservadas. O calendário de Gezer do século X AC não menciona os nomes dos meses, mas foi nomeado para o trabalho feito nos campos e vinhas, a fim de dar aplicabilidade do volume de negócios anual de como funcionava a agricultura. Os nomes de alguns meses do ano estão mencionados nos livros de Reis, mas não são aplicáveis no dia a ​​dia na rotina judaica como eram “Mês robusto” = Tishrei; “Mês do sêlo” = Cheshvan, no calendário dos cananeus estes eram nomes de sacrifícios mensais que ocorriam a cada lua nova.

Segue abaixo os nomes dos meses judaicos

Mês de Tishrei

Acadiano Tishrei = Iniciar. Este mês é mencionado em I Reis 8:2 chamado Lua robusta ou Mês robusto. Há apenas um mês do resto dos nomes babilônicos, que também é Ugarit (3) = lua vai servir.
Tishri

Mês de Cheshvan

Acadiano, Lua ou Mes de selo ou completa = oitavo mês. Mencionado no I Livro dos Reis 6:38 chamada Yareach Bull.

Mês de Kislev

Assírio, Lua espessa ou Mês espesso. Acadianas – micelas = óleo espesso. palavra hipotética significando lombo expectativa de chuva. É mencionado duas vezes na Bíblia – o livro de Zacarias 7:1 e em Neemias 1:1.

Mês de Tevet

Acadiano, afundamento. Aparentemente, a lama que se acumula por causa das chuvas. Mencionado no livro de Ester 2:16.

Mês de Shivat

Acadiano, tribo – o mês com chuva. Mencionado no livro de Zacarias 1:7.

Mês de Adar

Acadiano, o significado não é claro. Sugerem que a interpretação que é um mês cinzento, chuvoso, mal iluminado (nublado). Mencionado no livro de Ester, 3:7.
azevinho

Mês de Nissan

Acadiano, brotos, rebentos, mencionado em Neemias, 2:1, Livro de Ester, 3:7.
Nissan

Mês de Yar

Acadiano, significa que a luz. Mencionado no Talmud, Tratado Rosh Hashaná.

Mês de Sivan

Acadiano: Uma data fixa.

Mês de Tamuz

Acadiano, Tamuz é o nome de um deus babilônico antigo.
Tamuz

Mês de Av

Acadiano: Abu = Canas, juncos. Nele fazia-se o corte de cana. Também chamado Av Menachem segundo uma lenda nele teria nascido o Messias, em Tishá be’Áv.

Mês de Elul

Acadiano,colheita, eu seja, neste mês fazia-se a colheita.

2 comentários em “O Calendário Judaico”

Os comentários estão encerrado.