Descoberta: Homens comiam peixes a milhares de anos

Uma descoberta científica notável foi feita por pesquisadores da Universidade Hebraica de Jerusalém (HU), Universidade de Tel Aviv (TAU) e Universidade Bar-Ilan (BIU), em colaboração com o Museu Steinhardt de História Natural, Oranim Academic College, o Instituto de Pesquisa Oceanográfica e Limnológica de Israel (IOLR), o Museu de História Natural em Londres e a Universidade Johannes Gutenberg em Mainz. Uma análise detalhada dos restos de um peixe parecido com uma carpa encontrado no sítio arqueológico de Gesher Benot Ya’aqov (GBY) em Israel mostra que o peixe foi cozido há cerca de 780.000 anos. Cozinhar é definida como a capacidade de processar alimentos controlando a temperatura na qual é aquecida e inclui uma ampla gama de métodos. Até agora, as primeiras evidências de cozimento datam de aproximadamente 170.000 anos atrás. A questão de quando o homem primitivo começou a usar o fogo para cozinhar alimentos tem sido objeto de muita discussão científica por mais de um século. Essas descobertas lançaram uma nova luz sobre o assunto e foram publicadas noNatureza Ecologia e Evolução.

O estudo foi conduzido por uma equipe de pesquisadores: Dr. Irit Zohar, pesquisador do Museu Steinhardt de História Natural da TAU e curador das Coleções Biológicas Beit Margolin no Oranim Academic College, e o professor Naama Goren-Inbar do HU, diretor do local de escavação . A equipe de pesquisa também incluiu o Dr. Marion Prevost no Instituto de Arqueologia do HU; Prof. Nira Alperson-Afil do Departamento de Estudos e Arqueologia da Terra de Israel em Martin (Szusz) da BIU; Dr. Jens Najorka do Museu de História Natural de Londres; Dr. Guy Sisma-Ventura do Instituto de Pesquisa Oceanográfica e Limnológica de Israel; Prof. Thomas Tütken da Universidade Johannes Gutenberg em Mainz e Prof. Israel Hershkovitz da Faculdade de Medicina da TAU.

Dr. Zohar e Dr. Prevost: “Este estudo demonstra a enorme importância dos peixes na vida dos humanos pré-históricos, para sua dieta e estabilidade econômica. Além disso, ao estudar os restos de peixes encontrados em Gesher Benot Ya’aqob, pudemos reconstruir, pela primeira vez, a população de peixes do antigo Lago Hula e mostrar que o lago abrigava espécies de peixes que se extinguiram com o tempo. Essas espécies incluíam farpas gigantes (carpas como peixes) que atingiam até 2 metros de comprimento. A grande quantidade de restos de peixes encontrados no local comprovam seu consumo frequente pelos primeiros humanos, que desenvolveram técnicas especiais de culinária. Essas novas descobertas demonstram não apenas a importância dos habitats de água doce e dos peixes que eles continham para o sustento do homem pré-histórico, mas também ilustram a capacidade dos humanos pré-históricos de controlar o fogo para cozinhar alimentos.

Fonte: Universidade Hebraica de Jerusalém

1 comentário em “Descoberta: Homens comiam peixes a milhares de anos”

Deixe um comentário