Atentado grave em Jerusalém, terrorista foi preso após horas de perseguição

O terrorista, morador de Jerusalém Oriental que feriu oito pessoas em um ataque a tiros em duas cenas diferentes na Cidade Velha, se entregou à polícia com a arma que usou para realizar o ataque. Dois dos feridos estão internados em estado grave, uma mulher grávida teve um parto de emergência. Lapid: “Todos aqueles que procuram nosso mal pagarão um preço”.

O terrorista que realizou o ataque vergonhoso e covarde em duas arenas perto da Cidade Velha de Jerusalém se entregou à polícia nesta manhã de domingo em Israel. Oito pessoas ficaram feridas no ataque a tiros, duas delas em estado grave. No final de uma caçada noturna pelas forças de segurança, o terrorista, morador de Jerusalém Oriental, chegou de táxi à delegacia de Moriah, na capital, com a arma com a qual realizou o ataque depois de horas foragido.

A questão é como pode um verme como este, atirar contra uma mulher grávida forçando um parto de risco, onde a mulher e o bebê correm risco de vida e este miserável permanecer vivo.

O ataque noturno aconteceu em duas cenas: na primeira cena, na rua Maale HaShalom, na Cidade Velha, o terrorista atirou em um ônibus Egged enquanto o motorista ajudava uma mulher com deficiência(cadeirante) a entrar no ônibus usando um elevador. Dois homens na faixa dos 30 anos que estavam no ônibus ficaram levemente a moderadamente feridos.

Na segunda cena, na rua Ma’ale Shazach, na entrada do estacionamento do Túmulo do Rei David, seis pessoas ficaram feridas, incluindo quatro membros de uma família. Uma mulher grávida de 30 anos ficou gravemente ferida no tiroteio. Esta noite ela foi submetida a um parto de emergência no hospital Shaare Zedek. A condição do bebê é grave, mas estável. O diretor da unidade de trauma do hospital, Dr. Alon Schwartz, disse que “a lesão dela (da mulher) é complexa e sua vida está em perigo”.

Um ataque covarde e vergonhoso cuja lei em Israel não prevê uma penalização severa o suficiente. Em casos como este, os candidatos a terrorismo deveriam saber que suas casas seriam destruídas e sua família deportada, os bens confiscados, somente assim eles pensariam 20 vezes antes de cometer atrocidades como esta.