Crise diplomática entre Israel e Polônia se aprofunda

Nem um mês após a apresentação do novo governo, e o novo ministério do exterior de Israel já tem demonstrado sinais de falta de experiência em resolver crises, por enquanto, a situação só tende a piorar com a negação polonesa.

O embaixador da Polônia em Israel, Mark Magirowski, foi convocado hoje (domingo) para uma chamada de repreensão ao Ministério das Relações Exteriores, após a promoção da lei na Polônia que pode prejudicar pedidos de restituição de propriedade e indenização para sobreviventes do Holocausto e seus descendentes. Em Israel, a promoção desta lei é levada muito a sério, como evidenciado pelo fato de o embaixador polonês ter sido convocado para uma conversa no ministério do exterior de Israel, em seu dia de folga. Em resposta à convocação de Magirowski, na Polônia foi relatado esta noite que o governo em Varsóvia convocou Tal Ben-Ari, o comissário da embaixada israelense, para uma reprimenda amanhã.

O embaixador foi convocado pelo chefe do departamento político-estratégico do ministério do exterior, Embaixador Alon Bar, e expressou “grande decepção” com a legislação aprovada na semana passada na Câmara do Parlamento polonês (Siim), mas ainda precisa de aprovação parlamentar e a assinatura do presidente Andrzej Duda para entrar no livro de leis do país.

O Ministério das Relações Exteriores observou que, de acordo com especialistas, a legislação afetará adversamente cerca de 90% dos pedidos de restituição de propriedade de sobreviventes do Holocausto e seus descendentes. Também foi relatado que, na conversa, o Embaixador Alon Bar reiterou a mensagem do ministro das Relações Exteriores Yair Lapid, que atacou duramente a lei e disse que ela teria um efeito negativo nas relações entre Jerusalém e Varsóvia.

É importante salientar que milhões de israelenses viajam todos os anos para a Polônia, afim de conhecer os campos de extermínio nazistas, a decisão da Polônia poderá afetar seriamente as relações entre os países, inclusive em relação ao turismo mútuo entre eles.

Fonte: IsraelHayom, YnetNews