EUA atacou pela primeira vez no governo Biden, junto a fronteira da Síria e Iraque

Quem pensou que os Estados Unidos vai ficar de braços cruzados durante o governo de Joe Biden, hoje percebeu que estava completamente enganado. Biden, bem como todos os outros presidentes americanos, sabe que não se pode dar asas a cobras. Caso contrário, o terrorismo iraniano, xiita ou sunita, vai bater a sua porta.

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos, um grupo de oposição com sede em Londres, disse que pelo menos cinco milicianos pró-iranianos foram mortos em ataques aéreos dos EUA na área da fronteira entre Síria e Iraque.

Os militares dos EUA lançaram ataques aéreos visando milícias pró-iranianas no Iraque e na Síria, em resposta aos ataques de UAV por milícias dos EUA contra instalações e forças iraquianas. Entre outras coisas, instalações operacionais e depósitos de armas em dois lugares diferentes na Síria e outro lugar no Iraque foram atacados. O comunicado do Pentágono dizia:

“Trabalharemos para proteger nossas tropas em face dos ataques contra as forças dos EUA – apoiadas pelo Irã”, disse o comunicado.

De acordo com relatos da mídia árabe, pelo menos cinco pessoas foram mortas no ataque. De acordo com relatórios anteriores, os ataques foram dirigidos contra forças de uma milícia pró-iraniana iraquiana ativa na área de fronteira.

O canal de notícias Nahar Media, que opera na província de Deir a-Zor e é filiado aos rebeldes, relatou que os locais bombardeados eram edifícios civis apreendidos por forças da milícia pró-iraniana.

Outros meios de comunicação relataram um grande número de ambulâncias e caminhões militares do regime de Assad que se dirigiram ao local do incidente, aparentemente evidência de um medo de vítimas nos ataques.

A área de passagem de fronteira entre o Iraque e a Síria é um eixo vital para as milícias pró-iranianas na Síria e já foi atacada pela Força Aérea dos EUA. De acordo com relatórios estrangeiros, Israel também participou de ataques aéreos na área, especialmente com base na Guarda Revolucionária Imam Ali localizada perto da passagem de fronteira.

Enquanto a política do Irã é blefar em relação ao acordo nuclear, tudo indica que a paciência dos americanos já está se esgotando.

Fonte: Reuters, AFP, IsraelHayom, YnetNews