Europa não critica terrorismo mas censura Israel

Após o anúncio do governo israelense da construção de 1.300 unidades habitacionais na Judéia e Samaria e Jerusalém, a União Europeia emitiu uma declaração de condenação hoje (segunda-feira) e anunciou que não reconheceria as mudanças feitas nas fronteiras antes de 1967.

“Os assentamentos são ilegais sob o direito internacional e constituem um grande obstáculo para alcançar uma solução de dois Estados e para uma paz justa, duradoura e abrangente entre as partes”, disse a organização. “A União Europeia tem sempre deixado claro que não reconhecerá mudanças nas fronteiras anteriores a 1967, inclusive em relação a Jerusalém, além das acordadas por ambos os lados. Pedimos ao governo israelense que pare de construir assentamentos e não prossiga com propostas anunciadas. ” Enquanto isso, ontem, o enviado da ONU ao Oriente Médio condenou o anúncio israelense.

Ainda hoje, o Chanceler se referiu ao anúncio do Ministro da Habitação sobre a comercialização de unidades habitacionais na Judéia e Samaria: