Fim do turismo em Israel?

O governo realizou uma reunião hoje (domingo) em que os ministros discutiram a disseminação da cepa Omicron. Nas discussões, os ministros também abordaram as implicações para o público e as restrições à indústria do turismo.

O Ministro dos Transportes, Merav Michaeli, disse: “É legítimo sacrificar a indústria do turismo, mas precisamos de compensação.”

O ministro das Finanças, Lieberman, acrescentou: “O problema são os pequenos hotéis que se baseavam no turismo receptivo. Aí é preciso verificar o saldo. Em relação aos agentes de viagens e aos guias, é preciso dizer: comece a mudar de profissão. De quatro milhões e meio de turistas, o número caiu para 200.000. Uma grande parte dos guias já mudou de profissão.

“Não quero ser como o governo anterior, que estava espalhando dinheiro para todo mundo que levanta a mão. Mesmo de acordo com as previsões mais otimistas para 2025, nem um milhão de turistas serão vistos”.

Os Guias de Turismo contra Lieberman: “Enviando os cidadãos ao seu amargo destino”

Os guias responderam aos comentários do Ministro das Finanças Lieberman na reunião de gabinete: “A máscara foi retirada da cara do governo – este é um governo isolado e opaco, que não vê dezenas de milhares de cidadãos sem qualquer rendimento. Um governo que não compreende é quem o causou. “O fracasso, que todo cidadão sente todos os dias nos engarrafamentos, e o ministro das finanças que lança os israelenses ao seu amargo destino. Somos cidadãos cumpridores da lei que amam o país e servimos como seus embaixadores enquanto toda a economia se abre e nós fomos deixados para trás.”

Tudo indica que o setor de turismo para os que entram no país, já está morto e esqueceram de avisar. Quando a pandemia acabar, parece que nem os ossos haverão mais para ressuscitar. Se você programou uma viagem para os próximos seis meses em Israel, esqueça, adie para daqui a um ano pelo menos. Por enquanto, simplesmente, o turismo para Israel é inviável.