Hipocrisia americana contra destruição de casa de terrorista

Esta manhã, as forças das FDI concluíram a demolição da casa do terrorista Montser Shelby, que assassinou Yehuda Guetta em um ataque terrorista na junção de Tapuach há cerca de dois meses e meio.

A Embaixada dos Estados Unidos em Jerusalém criticou a demolição da casa do terrorista Montser Shelby, que assassinou Yehuda Guetta no entroncamento de Tapuach. “Acreditamos que medidas unilaterais devem ser evitadas que exacerbam as tensões e minam os esforços para avançar uma solução negociada, como a demolição de casas palestinas como punição.”

A embaixada acrescentou: “Como já afirmamos muitas vezes, uma casa de família inteira não deve ser demolida por causa das ações de uma pessoa”. Esta é a primeira condenação do governo do presidente Joe Biden, os Estados Unidos têm agido nas últimas semanas para impedir as demolições.O terrorista tem cidadania americana.

O que eles esqueceram de mencionar, é que uma casa pode ser construída novamente, porém a vida de Yehuda Guetta não poderá ser recuperada, e a vida de seus familiares que também foi dilacerada, também não será restaurada. Ao invés dos Estados Unidos ficarem ao lado de quem não assassina inocentes, mas prefere punir destruindo bens, eles ficam ao lado de quem destroem vidas que jamais poderão ser restauradas. Enfim, o comentário infeliz da declaração feita oficialmente pelo governo americano, revela o que realmente tem valor para eles, bens materiais, e também revela o que eles menos valorizam, a vida dos judeus.