Iraniano se recusou a lutar contra israelense em mundial de Taekwondo

Antes mesmo da histórica medalha de prata de Dana Azran no Mundial de Taekwondo realizado no México, um incidente ocorreu após o iraniano Mirhashem Hosseini boicotar a luta contra o israelense Ilya Ruderman.

Roderman, que compete na categoria de peso até 74 kg, deveria enfrentar na primeira luta o iraniano que conquistou a medalha de prata em 2017 – mas não apareceu, o que automaticamente avançou o israelense para as oitavas de final, mas não houve ele perdeu para o oponente por 0: 2 em sets e foi eliminado.

Poucos dias antes do campeonato, Hosseini foi entrevistado por um site iraniano e disse: “Estou na melhor forma física possível, venho ao México para conseguir um bom resultado. Quero trazer uma conquista para compensar o mau resultado nas Olimpíadas de Tóquio.”

Esta não é a primeira vez que atletas iranianos boicotam lutas contra israelenses (e provavelmente não é a última), quando em muitos esportes recebem instruções de seus treinadores para anunciar que estão lesionados ou desqualificados intencionalmente na pesagem após a empate, ou não compareça à luta.

A famosa história é, claro, do judoca Said Molai, que no Mundial 2019 perdeu intencionalmente nas semifinais, para não enfrentar Sagi Muki, mas antes do final do campeonato fugiu para a Alemanha e desde então já representou diversos países e ainda teve tempo para competir contra o israelense.

Fonte: IsraelHayom e YnetNews, Foto Ilustração: PixaBay