Israel planeja proibir viagens para países “vermelhos”, o Brasil está na lista

Como parte do esforço para incentivar e acelerar vacinas entre os jovens, o Primeiro Ministro Naftali Bennett chegou esta manhã (terça-feira) ao complexo de vacinas juvenis do Fundo de Saúde Maccabi em Holon, junto com o Ministro da Saúde Nitzan Horowitz e o próximo Diretor Geral do Ministério da Saúde Prof. Nachman Ash, para atender meninas e meninos.

Bennett anunciou que o governo está trabalhando para uma proibição total de voar para países vermelhos – e disse que os esforços agora estão focados no “bug” que criou uma brecha no Aeroporto Ben Gurion por um ano e meio desde o início da epidemia. O governo pretende aprovar um voo sujeito a um comitê de exceções. “Estamos no processo de fechar a brecha”, acrescentou Bennett. “100% das pessoas estão sendo testadas, mas há outros problemas que estamos corrigindo e testando. Estamos trabalhando nisso e espero que em um futuro próximo isso seja resolvido.”

Enquanto isso, o Ministério da Saúde anunciou esta manhã que oito israelenses tentaram embarcar em um vôo da Aeropolit para a Rússia com passaportes estrangeiros e sem a aprovação do Comitê de Exceções. Os passageiros foram retirados do voo e encaminhados à polícia.

Questionado sobre as palavras do Ministro da Educação Yifat Shasha Bitton, que disse que o Ministério da Saúde “aumenta” os números para encorajar a imunização, ele respondeu que “altos funcionários do Ministério da Saúde são um grupo profissional e preciso, que trabalha de acordo com as melhores informações que chegam todos os dias. Eles não são retos, eles sabem o que fazem. “Em resposta a novas informações, não há base nenhuma para alegar que alguém está inflando ou distorcendo os dados. Fornecemos os dados como sabemos a qualquer momento. É uma pandemia, é uma guerra dinâmica e complexa. “

“O Estado de Israel está em uma corrida contra o tempo porque temos um estoque de vacina para todos – mas as vacinas estão prestes a expirar no final de julho, então temos dez dias para fazer a primeira vacinação”, disse Bennett, apreciando o alunos que vieram ao centro de atendimento. “Digo aos pais que acham que não devem ser vacinados e que está tudo bem – o vírus Delta pode prejudicar quem não está vacinado, e isso são as crianças. Queremos aplicar 30 mil vacinas por dia para cumprirmos a tarefa. é ambicioso, mas é possível. Não há problema de estoque, mas eles têm validade. “, disse Bennett.