Libaneses: Nasrallah não cumpre o que prometeu

Os libaneses são o povo belo e simpático, mas o romantismo é danoso ao seu espírito e ao país. A fome e a miséria continuam e eles ainda não entenderam que confiar em terroristas é o que está levando a auto-destruição. A situação no Líbano está se deteriorando – e o dedo também está apontado para Nasrallah: Depois que o fornecimento de energia de cedro foi cortado por dois dias desde sábado, devido ao silêncio das turbinas para gerar eletricidade devido à escassez de combustível e diesel, o governo libanês e o banco central forneceu gradualmente o financiamento necessário.

Ao mesmo tempo, entretanto, a mídia libanesa informou que as interrupções de energia deveriam continuar. Isso se deve a um incêndio que eclodiu em uma refinaria de petróleo em Zahrani, no sul do Líbano, após o qual as forças do exército libanês evacuaram os trabalhadores da área da estação e encerraram suas atividades até que o incêndio fosse extinto.

Sharbel, um residente de Beirute Ocidental, disse ao Israel Today: “A crise de energia é insuportável e no ano passado a crise só piorou e as falhas de energia se tornaram mais frequentes. No auge dos dias quentes de verão, era impossível ficar em casa por causa do forte calor e agora “O que vai acontecer no inverno? Muitos libaneses sabem que as promessas do Hezbollah são promessas no gelo e, mesmo quando o Hezbollah ajuda, eles fornecem assistência apenas a membros da comunidade xiita no país.”

Embora no mês passado Najib Mikati formou um novo governo, mas desde agosto de 2020 não houve um governo permanente no Líbano. Isso depois que o governo do ex-primeiro-ministro, Hassan Diab, renunciou após a explosão do armazém de amônio no porto de Beirute – o que levou a uma intensificação da crise econômica no país, o colapso da libra libanesa (perdeu cerca de 90%) e uma grave crise energética e de alimentos básicos.

Infelizmente os libaneses ainda não compreendem que a chave para a sua prosperidade e desenvolvimento passa pelo Estado de Israel. Caso houvesse paz e tranquilidade entre os países, milhões de turistas que desejam visitar o Estado de Israel continuariam sua jornada pelo Líbano e pela Síria. Toda a região viveria em um período de prosperidade e bençãos sem precedentes, e a única coisa que pode levar a isso, é os governos do Líbano e da Síria serem corajosos o suficiente e amarem mais o seu povo do que temem os terroristas.

Fonte: IsraelHayom