Líbano: Egito e Hamas querem negociar reféns com Israel

O jornal libanês Al-Akhbar publicou nesta manhã (quarta-feira) que o mediador egípcio expressou sua vontade de concluir os esforços anteriores para fechar um acordo de prisioneiros entre o Hamas e Israel. Ele enfatizou que aguarda a posição de Israel sobre a retomada das negociações. Segundo o que Al-Akhbar apurou de fontes do Hamas, o movimento informou ao Egito que é correto concluir as negociações de onde elas terminaram, a fim de viabilizar a implementação da primeira fase do acordo.

Na primeira fase desse acordo, se for concluído, espera-se a libertação de Avra ​​​​Mengistu e Hisham al-Sayed, e o Hamas passará informações sobre os dois soldados cujos corpos estão detidos em Gaza, Hadar Goldin e Oron Shaul. Isso, em troca da libertação dos prisioneiros que foram libertados como parte do “acordo Shalit” e foram presos novamente nos anos seguintes, bem como mulheres, crianças, prisioneiros doentes, corpos de terroristas e antigos prisioneiros. Por outro lado, os egípcios informaram ao Hamas que estão em processo de estabelecer contato com o novo governo israelense sobre o caso dos prisioneiros e que aguardam a nomeação de um novo mediador em Israel, que substituirá Yaron Blum.

Na segunda-feira, com o fim da troca de chefes de gabinete, a organização terrorista publicou um vídeo de um homem apresentado como Abra Mengistu, pela primeira vez desde que foi capturado há mais de oito anos. “Eu sou o prisioneiro Abra Mengistu. Quanto tempo meus amigos e eu ficaremos aqui em cativeiro depois de longos anos de sofrimento e dor? Onde está o estado e o povo de Israel que cuidará do nosso destino?”, disse a pessoa mostrada como Mengistu no vídeo.

O porta-voz do Bureau de Informações para Prisioneiros Palestinos, Hazem Hasanin, chamou Mengistu de “o soldado sionista cativo”. Em uma declaração em seu nome, ele disse que “a resistência palestina dá grande importância à questão dos prisioneiros e está fazendo grandes esforços para libertar os prisioneiros nas prisões de ocupação. Nossos heróicos prisioneiros estão felizes com a documentação divulgada pelo Al-Qassam Brigadas – e pretende pressionar a ocupação e forçá-la a fechar um acordo de troca.”

Fonte: Al-Akhbar, IsraelHayom e YnetNews – Foto ilustração: PixaBay

Deixe um comentário