Migdal Afeq ou Migdal Tzedek

Migdal Afek está localizada dentro do perímetro urbano a moderna cidade de Rosh Ha’ain, cerca de 20 quilômetros apenas de Tel Aviv.

Considerando sua proximidade com os grandes centros urbanos, no passado não muito distante foi palco de gravação de diversos filmes em Israel. O mais famoso deles, creio ser The Order ( A Ordem ), de Jean-Claude Van Damme, onde uma das principais cenas de ação ocorrem.

A fortaleza de Migdal Afek, junto com Antipatris, não muito distante, controlavam a passagem estreita da Via Maris (“Caminho do Mar”), localizada perto de sua localização. A Via Maris era o principal caminho por onde passavam os comerciantes, os nômades e os exércitos que buscavam ir do Egito para a Síria e vice-versa.

No local existem ruínas de construções que vão desde o período romano até o período otomano estão localizados no Parque Nacional.

A pesquisa arqueológica identificou restos de cerâmica a partir do período do Ferro II e período dos persas.

Durante estes períodos, a região testemunhou um grande aumento da habitação, quando os israelitas se instalaram na região montanhosa de Efraim até a planície ocidental, a caminho do Mediterrâneo.

Esta região é mencionada em diversos eventos bíblicos, não muito distante daqui, cerca de 3 quilômetros apenas ao norte, está localizada Ebenezer, local onde estavam acampados os israelitas para a batalha com os filisteus. Cerca de 3 quilômetros ao oeste, está localizada Tel Afeq, ou como conhecida no Novo Testamento, Antipatris, local onde estavam acampadas as forças inimigas de Israel, os Filisteus.

Em Antipatris que foi construída sobre os escombros da antiga Afeq, Herodes construiu uma guarnição e qual deu o nome de seu pai, Antipater. E foi neste mesmo lugar que o Apóstolo Paulo passou a noite com os guardas que o levaram para ser ouvido por Festo e Herodes Agripas, em Cesareia Marítima.

Migdal Tzedek hoje é um castelo que está terminando de ser restaurado, e agora é o mais novo Parque Nacional de Israel. Portanto, a entrada é paga com uma taxa de apenas 28 shekels. A construção atual é um misto de diversos períodos, onde pode-se ver um portal do período romano-bizantino, sacadas do período dos cruzados, e até mesmo os acréscimos realizados no período otomano.

Esta fortaleza em grande parte medieval, é um verdadeiro mosaico histórico, onde podem ser realizados também eventos previamente acordados com a direção do parque nacional. Os caminhos belíssimos criados a volta da fortaleza, os estacionamentos e as áreas de descanso e lazer, fazem deste local hoje, uma ótima opção para quem está na região central do país e deseja uma visão de tirar o fôlego para a metrópole de Israel e o Mediterrâneo. Os dias mais recomendados para a visita são sem dúvida alguma os dias frescos no Outono e na Primavera.