Ministério da Saúde em Israel confirmou queda de eficiência da vacina em casos da capa Delta

O Ministério da Saúde divulgou hoje (segunda-feira) a eficácia da vacina contra o vírus corona. A partir de uma análise epidemiológica dos serviços públicos de saúde do Ministério da Saúde, a partir de 6 de junho, observa-se uma redução no benefício da vacina na prevenção de infecções para 64% e na prevenção de doenças com sintomas para 64%.

O declínio foi observado simultaneamente com a propagação da variante Delta em Israel. No entanto, o benefício da vacina na prevenção de hospitalizações e morbidade grave no vírus corona ainda é alto e estimado em 93%.

O Ministério da Saúde acrescentou: “Apelamos a todos que entram em contato com um paciente verificado, inclusive os vacinados, que façam o teste. Principalmente entre vacinados que sintam sintomas. Além disso, deixamos claro que não há recomendação ou decisão nesta fase, para vacinar o público em Israel ou com a aprovação das autoridades reguladoras.

“O Ministério da Saúde está promovendo a administração de uma dose adicional de vacina para pessoas com diminuição do sistema imunológico (imunossuprimidos), nas quais houve baixa resposta ao protocolo regular de vacinação”.

Enquanto isso, 343 novas pessoas com novos casos foram confirmadas ontem e 369 da meia-noite foram adicionadas. Dois pacientes estão em estado crítico e foram adicionados à meia-noite com total de 35. A porcentagem de testes positivos é de 0,7%.

Na audiência, ficou decidido que o Ministério da Saúde promoveria dois estudos médicos que forneceriam informações vitais para a tomada de decisões sobre vacinas.

Um dos estudos será entre pacientes verificados com vírus corona que foram vacinados, com referência a vários componentes, como idade, doenças de fundo e a data da vacinação. O objetivo do estudo será examinar a eficácia da vacina e a taxa de seu declínio ao longo do tempo em pessoas de diferentes grupos etários e com diferentes doenças de fundo.

Além disso, o teste de imunidade celular nas pessoas vacinadas será realizado ao longo do tempo por meio de um teste sorológico.

A pesquisa será coordenada pelo Dr. Sharon Elrai Price, Chefe dos Serviços de Saúde Pública, em colaboração com os HMOs.

O Ministério da Saúde convoca quem entra em contato com um paciente verificado, inclusive o vacinado, para fazer o teste. Especialmente entre as pessoas vacinadas que sentem os sintomas.

Conforme mencionado, a equipe de tratamento de epidemias discutiu a questão de uma vacina de terceira dose para certas populações em Israel ontem. Outra questão que surgiu é a vacinação de menores de 12 anos, pois na discussão anterior todos os participantes foram de opinião que a vacinação de menores de 12 anos não deve ser feita, mesmo entre crianças com doenças graves.