Não há como apagar a história: Vala comum com milhares de judeus foi descoberta na Bielo-Rússia

Em agosto de 1941, os nazistas prenderam os homens da região de Leningrado, na Bielo-Rússia, e atiraram e mataram cerca de 1.400 judeus. Depois de uma campanha de busca de décadas que se estendeu entre Israel e Bielo-Rússia, uma enorme vala comum foi encontrada recentemente com descobertas e evidências que indicam o horror.

Depois de décadas de buscas, uma vala comum foi encontrada, contendo os restos mortais de cerca de 1.400 homens judeus que foram assassinados há 80 anos pelos nazistas. O terrível massacre ocorreu em agosto de 1941, na cidade de Luninitz (perto de Pinsk) na Bielo-Rússia.

A investigação foi realizada pela jornalista bielorrussa Tania Konafetskaya, que levou à inauguração da tumba – juntamente com uma busca de longa data do falecido morador da cidade, Shlomo Alfiner, e sua filha Ilana Sela. Neste local onde os ossos estavam descoberto “, disse Ilana Sela.

200 crianças foram queimadas vivas

O Canal Um da televisão bielorrussa transmitiu no fim de semana a documentação arrepiante de ossos e crânios humanos retirados da vala comum, bem como os bens pessoais dos assassinados, incluindo óculos, pentes, sapatos e seus equipamentos pessoais – evidência da atrocidade que ocorreu no local.