Netanyahu está em beco sem saída

Após duas semanas sem sucesso na tentativa de dobrar dois piões da política em Israel, Benjamin Netanyahu parece estar chegando no final de sua carreira como Primeiro Ministro de Israel. Porém, se tratando de um master na política interna e externa, não devemos subestimá-lo até a última hora. Netanyahu ainda é o mais qualificado no país, e qualquer outro que assumir o cargo, ficará muito atrás da expectativa do povo.

Os dois maiores empecilhos para a formação do novo governo de Netanyahu são duas figuras políticas que ele mesmo fez crescer. Enfim, colhemos o que plantamos…

Gideon Saar, um político sem liderança

Um dos piões é Gideon Saar, um político sem menor talento de liderança, um ministro de nível médio, mas que a rivalidade interna com Netanyahu o fez se auto inflar, arrastando com ele alguns dissidentes do LIKUD. Gideon Saar e seus companheiros alcançaram somente 6 cadeiras no parlamento. Porém, por causa do parlamento estar fragmentado em pequenos partidos, sem ele, Netanyahu não pode formar um governo de direita sem apoio de um partido árabe, a Lista Árabe Unida.

Bezalel Smotrich, tendência terroristas

O segundo pião se chama Bezalel Smotrich, que também subiu a liderança do partido Sionismo Religioso, um político apoiado pelos colonos radicais e “messiânicos” no mau sentido da palavra. Bezalel Smotrich já apoiou matar crianças palestinas jogando pedras.

Smotrich defendeu uma política de atirar para matar para os militares quando eles lidam com palestinos jogando pedras. Questionado sobre o que faria se outra intifada surgisse, e uma criança palestina atirasse pedras, ele respondeu: “Ou eu o fuzilarei ou o prenderei ou o expulsarei.”

Questionado sobre o que faria se outra intifada surgisse, e uma criança palestina atirasse pedras, ele respondeu: “Ou eu o fuzilarei ou o prenderei ou o expulsarei.”

Comentando sobre um caso específico, o ataque incendiário da Duma, no qual uma família palestina de 3 pessoas foi morta, e pelo qual um colono judeu foi indiciado, Smotrich afirmou que rotular tais atos como terrorismo causa “danos mortais e injustificados a humanos e civis direitos “.

Apoio de Netanyahu

Enquanto Netanyahu tentou excluir Gideon Saar de toda a esfera política importante em seu partido, excluindo-o do governo, ao contrário dele, apoiou Smotrich dizendo que os colonos poderiam e deveriam voltar no partido dele, caso fosse a única opção.

As consequência disso, é que um partido que praticamente estava fadado a desaparecer, se fortaleceu e agora seu líder se recusa a aceitar apoio indireto de um partido árabe para formação do governo. Smotrich demonstrou-se ideológico, mas um verdadeiro recruta em política, está dando de bandeja, força para a esquerda destruir o governo Netanyahu.

Se nos próximos dias nada mudar, a esquerda se fortalecerá, receberá apoio da direita, cujo único objetivo é derrubar Netanyahu, e depois cuspirá no apoio da direita, o jogo sujo já está as portas, e acredito que Netanyahu só terá uma opção, que será renunciar e passar o bastão a outro candidato de seu partido, o LIKUD.

1 comentário em “Netanyahu está em beco sem saída”

Os comentários estão encerrado.