O Caos em Israel: Polícia realizou poucas prisões e motins podem voltar hoje

Durante a noite, a polícia prendeu 36 suspeitos em manifestações violentas em Jisr a-Zarqa, Wadi Ara e Hadera. Os suspeitos foram presos sob suspeita de atirar pedras, disparar fogos de artifício, queimar latas e pneus e agredir policiais. A polícia disse que “dependendo das evidências que emergirão do material de investigação, será decidido se haverá uma audiência esta manhã sobre o pedido de prorrogação da detenção”.

O Centro Médico da Galiléia em Nahariya disse que a condição do judeu de 37 anos que foi ferido ontem à noite em um linchamento em Acre ainda é difícil. No final da operação, foi transferido para um hospital na unidade de terapia intensiva neurocirúrgica.

Os bombeiros disseram que o incêndio no estacionamento da rua Ahavat Yisrael em Haifa, no qual vários carros pegaram fogo, foi um incêndio criminoso. Isso foi determinado no final de uma inspeção por um investigador de incêndio. Após a inalação da grande quantidade de fumaça que saiu do incêndio, 59 pessoas ficaram levemente feridas, muitas delas crianças. 26 deles foram evacuados para o Hospital Rambam e outros 20 foram evacuados para o Hospital Bnei Zion.

A Polícia e a Polícia de Fronteira prenderam 37 pessoas em Jerusalém e arredores durante a noite por distúrbios, lançamento de pedras, agressão e danos causados. As prisões ocorreram devido a vários incidentes diferentes: um homem foi preso sob suspeita de agredir um empresário no centro da cidade usando pimenta spray, quatro foram presos por suspeita de agredir trabalhadores da estação de Combustível perto de Beit Shemesh e causar danos, outra pessoa foi presa por suspeita de atirar pedras perto da ponte de corda e causar danos a um caminhão, três suspeitos foram presos perto do portão de Nablus por agressão, e três outros por suspeita de agressão a transeuntes a caminho de Bar Lev.

O município de Tiberíades condenou os tumultos ocorridos na noite de ontem na cidade, durante os quais ele foi levemente ferido por um árabe que foi flagrado em um comício por um público judeu. Um policial que veio ajudá-lo também ficou levemente ferido. Quatro suspeitos foram presos. “Essas manifestações podem causar ferimentos desnecessários e perigo real de vida. É hora de acalmar os ânimos e ajudar os moradores do sul tanto quanto possível”, disse o município. O presidente da comissão responsável em Tiberíades, Boaz Yosef, disse: “Condeno veementemente todos os violadores da lei e todos aqueles que fazem justiça com as próprias mãos. Pedi à polícia para impor resolutamente qualquer caso de violência.”

Fonte: YnetNews e IsraelHayom – Foto: Portavoz da Polícia de Israel no Twitter