Portugal foi o primeiro a fechar as portas para os israelenses

Na sequência da decisão da União Europeia na segunda-feira (segunda-feira) de retirar Israel da lista de países verdes, e do aumento da morbilidade do coronavírus, o governo português decidiu proibir a entrada de israelitas no seu território. De acordo com a decisão, os israelenses só poderão entrar em Portugal para fins urgentes e com autorização especial, como estudantes, reagrupamento familiar, razões médicas e humanitárias, etc. Também não será permitida a entrada de vacinados.

Portugal é o primeiro país a fazê-lo seguindo a recomendação da UE. Na verdade, cada país pode decidir por si mesmo o que essa recomendação significa. No passado, por exemplo, Chipre e Grécia decidiram permitir a entrada de israelenses vacinados, mesmo quando Israel não estava na lista de países verdes.

O advogado Itai Moore, presidente do Além do Arco-Íris de Portugal, disse: Para Portugal de Israel exceto para viagens justificadas. “
“Estamos inflexíveis quanto à decisão, certamente à luz do fato de que a maioria dos israelenses está vacinada e era apropriado que nesta fase a União Europeia já reconhecesse os certificados de vacinas israelenses”, acrescentou. “É importante reconhecer que os titulares de cidadania europeia não serão impedidos de entrar em Portugal nesta fase. Continuaremos a pressionar os tomadores de decisões para que retirem o decreto brevemente”.

Fonte: YnetNews