Quando Erdogan diz que perdeu a paciência com os curdos, a intensão é exterminar milhares de inocentes

Não é a primeira vez que o presidente turco Recep Tayyip Erdogan faz ameaças abertamente aos curdos, que juntamente com os armênios, não grandes minorias dentro da própria Turquia. E quem são de fato os turcos? Não precisa ser nenhum estudioso, basta ver as séries “históricas” na Netflix para saber que eles é quem invadiram a região dominando sobre regiões cristãs e muçulmanas a partir do século X até o século XVI quando formaram o império turco.

Quer saber mais sobre de onde vieram os turcos e o que havia na região antes de chegarem na região, veja este artigo.

O presidente turco Recep Tayyip Erdogan disse que seu país está “determinado a eliminar as crescentes ameaças no norte da Síria”, referindo-se a um ataque de míssil que matou dois policiais turcos na região ontem. “Foi a palha que quebrou as costas do camelo”, acrescentou Erdogan. “Não temos mais paciência para certas áreas na Síria, que são a fonte dos ataques ao nosso país. Estamos determinados a eliminar essas ameaças por meio de nossas forças ativas lá ou por outros meios.”

Na semana passada, os curdos que vivem no norte do Iraque se mostraram a favor de uma normalização entre o Iraque e o Estado de Israel, mas foram amplamente censurados pelos iraquianos sunitas e xiitas. No passado, os Curdos e os Izids declararam seu apoio e aprecio pelo Estado de Israel. O Ministério do Interior turco afirmou que o ataque, ocorrido na província de Azaz, foi da responsabilidade dos combatentes da milícia curda YPG que é uma força militar para defesa do povo curdo, composta basicamente por voluntários.