Rosh Hashanah 5779, Ano Novo Judaico

Hoje o Estado de Israel e cerca de 14 milhões de judeus em todo Mundo estarão comemorando o Rosh Hashanah, que marca o início do Ano Judaico de 5779 desde a Criação do Mundo.

Durante a Festa do Ano Novo Judaico, haverão bloqueios nas estradas dentro da região da Samaria e Judeia afim de evitar atentados dos palestinos, tão comuns durante as festas judaicas.

Rosh Hashanah – O mês de Tishrei é o sétimo no calendário judaico, isto pode parecer estranho, pois o Rosh Hashaná(Cabeça do Ano, tradução literal), o Novo Ano, é no primeiro e segundo dia de Tishrei. A razão é que a Torá fez o mês de Nissan o primeiro do ano foi, segundo os rabinos, para enfatizar a importância histórica da libertação da Escravidão do Egito, que aconteceu no décimo quinto dia daquele mês, e que assinalou o nascimento de nossa nação.

De acordo com a tradição judaica, Adam (Adão) e Chava (Eva) foram criados no primeiro dia de Tishrei, que foi o sexto dia da Criação, e é a partir deste mês que o ciclo anual se inicia. Por isso, Rosh Hashaná é celebrado nesta época. Este ano Rosh Hashanah se inicia ao por-do-sol de 9 de Setembro de 2018 e termina ao por-do-sol do dia 11. Isto se deve por que os dias em Israel se inicial com o por-do-sol e terminam ao por-do-sol.

Rosh Hashaná (em hebraico ראש השנה , literalmente “cabeça do ano” ou “principal do ano”) é o nome dado ao ano-novo no judaísmo. Dentro da tradição rabínica, o Rosh Hashaná ocorre no primeiro dia do mês de Tishrei, primeiro mês do ano no calendário judaico rabínico e sétimo mês no calendário bíblico. A Torá refere-se a este dia como o Dia da Aclamação (Yom Truá Levítico 23:24), pelo que os judeus caraítas seguem esta data mas não o consideram como princípio do ano. Há doze meses no calendário judaico bem como há doze Tribos em Israel.

Os Meses do Calendário Judaico

Cada mês do ano judaico tem sua Tribo representada. O mês de Tishrei é o mês da Tribo de Dan o que é bastante simbólico, pois quando Dan nasceu, sua mãe Lea teria dito: “Deus julgou-me e também atendeu à minha voz.” Dan e Din (Yom HaDin ou seja, o Dia do Julgamento) ambas as expressões são oriúndas da mesma raiz, simbolizando que Tishrei é a época do Julgamento Divino e do perdão.

Já a literatura rabínica diz que foi neste dia que Adão e Eva foram criados e neste mesmo dia incorreram em erro ao tomar da árvore da ciência do bem e do mal. Também teria sido neste dia que Caim teria matado seu irmão Abel. Por isto considera-se este dia como Dia de Julgamento (Yom ha-Din) e Dia de Lembrança (Yom ha-Zikkaron), o início de um período de instrospecção e meditação de dez dias ( Yamim Noraim) que culminará no Yom Kipur, um período no qual se crê o Criador julga os homens.

A comemoração é efetuada durante os dois primeiros dias de Tishrei conforme o costume pós-exílico para se garantir a comemoração no dia correto nas comunidades da Diáspora.

A celebração começa ao anoitecer na vespéra com o toque do shofar. É costume se comer certos alimentos representativos durante o Rosh Hashaná como maçãs com mel e açúcar para representar um ano doce.

Durante a tarde do primeiro dia se realiza o tashlikh, um costume de recitar certas preces e jogar pedras ou pedaços de pão na água como um símbolo da eliminação dos pecados. A cerimônia de expiação do pecado nos dias de hoje é comemorada no Yom Kippur que será a partir do início da noite de terça-feira, 18 de setembro e se seguirá até o início da noite de quarta-feira, 19 de setembro de 2018.

Para mais informações sobre o Yom Kippur, leia o artigo a seguir: