Síndrome de Herodes está atacando o Irã

Um artigo no New York Times observou que a série de ataques no Irã gerou grande preocupação entre os líderes do Irã que não sabem como, segundo eles, os israelenses conseguem realizar o que aparentemente é impossível, sabotar o programa nuclear iraniano. Como pode ser que o pequeno estado de Israel, estando a milhares de quilômetros da República Islâmica do Irã, consegue realizar operações audaciosas, sem deixar rastro e provas de envolvimento.

A síndrome do Rei Herodes parece estar atingindo em cheio os inimigos do Estado de Israel, a paranoia, o temor de conspiração e a busca pelo cavalo de Tróia no governo iraniano já começou, a temporada de caça as bruxas já está em alta.

As acusações começaram quando um ex-oficial da inteligência dos EUA detalhou como o Mossad opera: “Em outros países, ele monitora equipamentos destinados ao Irã, esconde em seus transmissores ou esconde dispositivos explosivos – que estão explodindo no Irã.” Oficial iraniano: “O equipamento que enviamos ao exterior voltou com cerca de 130 kg de explosivos dentro”.

Uma série de incidentes ocorreram no Irã em nove meses: um motociclista matou a tiros uma figura importante da Al-Qaeda que encontrou refúgio em Teerã, o “pai do programa nuclear” iraniano foi exterminado, a luz do dia, em uma estrada junto ao aeroporto, e duas explosões misteriosas ocorreram no principal local de enriquecimento do país, Natanz.

Estes são apenas os principais incidentes que ocorreram no Irã, mas parece que debaixo do tapete iraniano, há muito mais, porém o orgulho persa os impede de trazer a tona. Tem gente até acusado de que Israel distribuiu “pedras” com sensores, comunicação por satélite e explosivos para serem usados na hora certa. A imaginação está superando os filmes mais fantásticos de 007 ou Missão Impossível.

A série de ataques, que funcionários da inteligência atribuem a Israel, destacaram de acordo com o New York Times a facilidade com que a inteligência israelense consegue atacar o coração do Irã e suas instalações mais secretas – às vezes com a ajuda de colaboradores locais. O fato é que quanto mais os iranianos se apressam para alcançar a autonomia nuclear militar, mais erros eles cometem, foi assim com Herodes e é assim com qualquer um que se deixa levar pelo demônio do medo e o espírito de conspiração.

Herodes tinha uma paranóia tão grande que matou quatro dos seus filhos e até mesmo sua mulher, sobre quem dizia que foi a única pessoa que ele realmente amou. A paranóia de Herodes o levou a auto-destruição, ele morreu doente, cheio de dores insuportáveis e o principal, sucumbiu sozinho. Pois é, assim são todos, até mesmo os países como o Irã, que vê conspiração em tudo, e através de sua própria conspiração tenta destruir seus adversários, terá algumas vitórias, como incitar as guerras entre Israel e o Líbano, Israel e o Hamas, Arábia Saudita e Iêmen, Guerra Civil na Síria. Bem como Herodes, o seu final será bem mais triste, o país está quebrado, isolado e sozinho, somente não sucumbirá por que Adonai, o Deus de Israel, é misericordioso para com os milhões que vivem em qualquer parte do Mundo. Milhões serão poupados, mas não os ditadores e terroristas iranianos, a paranóia vai chegar ao fim!

Deixe um comentário

3 × 1 =