Software israelense de coleta de dados para governos pode ter vazado informações secretas

Não são poucas as empresas que trabalham com alta-tecnologia de segurança ciber em Israel, e a venda destas tecnologia são muito complicadas, sigilosas e debaixo de censura do Ministério de Defesa de Israel. Nos últimos dias, o já conhecido como anti-israelense Washington Post, tem divulgado acusações sérias. Relatório: Os nomes dos líderes cujos números apareciam no spyware do NSO vazaram

O Washington Post afirma ter obtido uma lista de 50.000 números, incluindo políticos seniores, que serviram como alvos do spyware Pegasus desenvolvido pela empresa israelense NSO. O jornal destacou que não está claro se os telefones da lista já foram hackeados.

A lista inclui os livros do presidente francês Emanuel Macron, do presidente iraquiano Brahm Saleh, do presidente sul-africano Cyril Rampusa, do primeiro-ministro egípcio Mustafa Madboli e do primeiro-ministro marroquino Saad a-Din al-Ottomani. Além disso, os livros do ex-primeiro ministro libanês Saad al-Hariri e do rei Mohammed VI de Marrocos também apareceram.