Terrorismo financiado por alimentos: Chocolate do Hamas foi aprendido por Israel

O ministro da Defesa, Bnei Gantz, assinou uma ordem de apreensão administrativa confiscando 23 toneladas de barras de chocolate, que serviram como meio alternativo de transferência de fundos e financiamento para a organização terrorista Hamas na Faixa de Gaza.

Uma operação conjunta da Divisão de Inteligência da IDF, da Sede Nacional de Contraterrorismo Econômico do Ministério da Defesa (NCO) e do Centro Nacional de Diagnóstico de Carga da Autoridade Tributária recentemente revelou atividade suspeita de importação de produtos alimentícios (barras de chocolate) como meio de transferência dinheiro para o Hamas na Faixa de Gaza.

Segundo a suspeita, a organização terrorista Hamas opera com uma extensa infraestrutura para financiar o terrorismo por meio do financiamento de mercadorias contendo produtos alimentícios básicos, como barras de chocolate, destinadas à venda aos moradores de Gaza. Os rendimentos da venda dos lanches foram usados ​​para atividades do Hamas, bem como para a ala militar do Hamas na Faixa de Gaza.

Fonte: Portavoz da IDF

Foto: Autoridade Alfandegária de Israel em Nitzana