Violência doméstica árabe em Israel

Três irmãos árabes de 20, 23 e 28 anos, residentes de Kfar Zarzir, são suspeitos de assassinar sua mãe, uma moradora de 46 anos de Nof Hagalil, e de esconder seu corpo na região do Jordão montanhoso.

Uma investigação da Unidade Central da Polícia do Distrito Central revelou que na madrugada da última sexta-feira, um veículo particular arrombou um posto de controle da polícia na área do Jordão, e surgiu a suspeita de que ele estava envolvido em um incidente criminal. Imediatamente ao receber o relato do incidente, várias forças policiais começaram a procurar o veículo.

Paralelamente, a unidade central iniciou ações investigativas para localizar as identidades dos ocupantes do veículo. Durante a investigação, surgiu a suspeita de que o caso estava relacionado com a ausência de uma mulher de 46 anos de idade de Kfar Zarzir que estava vivendo na cidade de Nof da Galiléia, e o nome de um de seus filhos apareceu como suspeito de sua ausência e na violação do posto de controle.

Após uma investigação intensiva, combinada com meios tecnológicos avançados, cresceu a suspeita de que a mulher havia sido assassinada. Detetives da unidade central tentaram rastrear o suspeito que passou horas na clandestinidade e desapareceu durante horas, enquanto ao mesmo tempo procuravam a mulher desaparecida. Por volta das 17h da sexta-feira, o suspeito tentou invadir um posto de controle policial que foi implantado após a investigação. As forças policiais o perseguiram e, após uma perseguição a pé, ele foi preso perto de Nahalal.

Como parte da investigação, os três filhos da falecida foram presos junto com um parente suspeito de auxiliar no assassinato, e sua detenção foi estendida no tribunal até quinta-feira desta semana. Ao mesmo tempo, muitos policiais, acompanhados por um helicóptero, cães, cavalaria e unidade de reconhecimento da Polícia de Israel, continuaram realizando buscas para localizar a mulher desaparecida e, após 26 horas de buscas, seu corpo foi encontrado no montanhoso Jordão área.

O comandante do Distrito Norte, Superintendente Shimon Lavie: “A rápida atividade dos investigadores da Unidade Central em localizar o suspeito, e a suspeita que levantaram de que foi um assassinato, levou todas as forças do Distrito Norte a lançar uma operação rápida e extensa para localizar o corpo da vítima e evitar que desapareça. Utilizando todos os meios à nossa disposição – aéreos, terrestres e especiais.

“Nesta fase a investigação está em andamento, a detenção dos três irmãos foi prorrogada no tribunal de acordo com o pedido da polícia até segunda-feira, 16 de agosto, e uma ordem de restrição foi imposta a todos os detalhes da investigação.”

É importante salientar que no meio árabe o crime doméstico por “honra familiar” é muito comum. Estes crimes ocorrem após traições, separações ou simplesmente pelo que é considerado um desrespeito as tradições islâmicas como relacionamentos com pessoas de outras religiões que não seja a islâmica. Segundo o próprio relato da polícia, a vítima e seus filhos eram de Kfar Zarzir, uma aldeia árabe islâmica, mas a mãe estava vivendo em Nof da Galiléia(anteriormente conhecida como Nazareth Elite), uma cidade judaica, e este pode ter sido o principal motivo do assassinato.

Infelizmente casos como estes são muito comuns na sociedade árabe que continua com uma mentalidade da idade média, onde para os homens, a mulher não passa de um objeto de possessão.