A Mitzvá 8/positiva e a Brachá haRefuá Shelema (bênção para cura completa)

Por Rav J. Pietro B. Nardella-Dellova
da Sinagoga Sêh HaElohim-Scuola

Prezados achim e achotim, salve.

É uma Mitzvá visitar uma pessoa doente, atendendo-lhe as necessidades da alma, do corpo, do espírito e as de ordem material. Esta Mitzvá é a de número “8”, dentre as positivas, e de número “611” na ordem em que aparece na Torá. Ela vem no conteúdo da passagem (que, aliás, se repete em vários pontos) “seguir e imitar o comportamento do Eterno”.

Assim, se o Eterno foi e é chamado de “Misericordioso”, devemos ser, também, misericordiosos; se o Eterno foi e é chamado de “Benevolente”, devemos ser, também, benevolentes; e, se o Eterno visita os enfermos, como fez com Abraham avinu (Ber. 18:1), devemos, também, visitar os enfermos

Este nosso procedimento vai para além da Tsedaká, conforme ensina o Rabino Aryeh Carmell. A soma de atos de bondade, no sentido de levar alívio aos que sofrem e “shalom” aos aflitos, chama-se Guemilút Chassadím (atos de bondade)

Quando visitamos a pessoa doente, podemos pronunciar determinadas “brachôt” a fim de vê-la com a saúde restabelecida, desde que nós estejamos em ruach hakedoshim (espírito de santidade) e sejamos, de fato, b’nei Mitzvá (filhos do Mandamento). Dentro do procedimento maior, em consonância com a Mitzvá acima, pronunciamos as brachõt, mas não podemos nos esquecer que as palavras de bondade devem espelhar atitudes de bondade!

Passo-lhes de modo resumido, a seguir, a maneira como devem proceder ao visitarem um enfermo, sobretudo, sendo ele membro da Sinagoga e, nesta condição, um judeu, ou um judeu convertido ou em t’shuvá (retorno). Caso não seja possível visitar o enfermo, as brachôt poderão ser ditas na Sinagoga ou em casa.

Eis o procedimento:

  1. É salutar (edificante) que se leiam alguns Tehilim (Salmos), mas nada que se torne cansativo para o enfermo e, por isso mesmo, o visitante deve agir com sabedoria, discernimento e equilíbrio. Os Tehilim (Salmos) devem ser escolhidos antecipadamente (apenas sendo oportuno e conveniente).

 

  1. Após a leitura de Tehilim, diz-se:

Hamacom ierachem alêcha (feminino: aláyich) betoch shear cholê Yisrael
(Que o Eterno tenha misericórdia de ti, dentre todos os doentes de Israel)

  1. Se for um dia de Shabat ou um Iom Tov (dia santo), diz-se, apenas:

Shabat hi (ou, Iom Tov hu) miliz’oc urefua kerová lavo
(O Shabat (ou, Iom Tov) dispensa toda a oração e a cura está prestes a vir)

  1. E, por último, diz-se, então:

Mi sheberach avotênu Avraham Yitzchak veYaakov, Moshé veAharon David Sh’lomó veYeshua BenYosef rabenu, hu ievarech virape et hacholê (ou, feminino: hacholá) […nome hebraico…] ben (feminino: bat) […nome da mãe] baavur she […nome hebraico do enfermo… ] ben […nome do pai…] noder tsedaká baavuru (feminino: baavurá). Bissechar ze hakadosh baruch hu yimale rachamim

E continua, sendo do sexo masculino:

Alav lehachalimo ulerapoto ulehachazico ulehachaioto veyishlach lo meherá refua shelema min hashamáyim liremach evarav veshessá guidav betoch shear cholê Yisrael, refuat hanéfesh urefuat haguf, hashta baagala uvizman cariv, venomar AMEN.
Ou, desta forma, sendo do sexo feminino:

Aleha lehachalima ulerapota ulehachazica ulehachaiota veyishlach la meherá refua shelemama min hashamáyim liremach evareha veshessá guideha betoch shear cholê Yisrael, refuat hanéfesh urefuat haguf, hashta baagala uvizman cariv, venomar AMEN.

(Aquele que abençoou a nossos pais Abraham, Itzchak e Yaakov, Moshé e Aarão, David, Sh’lomò e Yeshua BenYosef nosso Mestre, abençoará e curará o/a enfermo/a […nome hebraico…], filho/a de […nome da mãe…] porquanto […nome…] filho de […nome do pai…], prometeu doar caridade em sua causa. Em função disto, o Sagrado, bendito seja Ele, apiedar-se-á dele/a e o/a curará, restabelecerá, fortalecerá e fará viver, e mandará brevemente cura completa dos céus a seus 248 órgãos e 365 músculos, dentre todos os enfermos de Israel, cura para a alma e cura para o corpo, agora, prontamente, e em tempo próximo, e digamos AMEN.

  1. E quando o enfermo recupera sua saúde, deve comparecer à Sinagoga e dizer:

Baruch ata Adonai, Elohênu, Mélech haolam, hagomel lechaiavim tovot, sheguemaláni col tov
(Bendito és Tu, Eterno, nosso D’us, Rei do Universo, que, apesar de não ter mérito, me concedeste todo o bem)

e a Sinagoga responde:

AMEN, mi sheguemalchá tov, hu yigmolchá col tov sela.
(AMEN. Quem te concedeu o bem, conceder-te-á todo o bem sempre)

  1. Após, se houver, ergue-se uma taça de vinho e diz-se:

Lechayim! Baruch rofê cholim!
(à vida! Bendito seja O que cura os doentes!)
Fonte bibliográfica de apoio e consulta:
Preghiere d’um Cuore Israelita, dal Rabbino Marco Tedeschi, Livorno, Itália – 1948
Nas bênçãos do Eterno e na Luz do Mashiach,
São Paulo, 25 ottobre 2006 – 3 Cheshvan 5767Preparada originalmente para os membros da Sinagoga Sêh HaElohim-Scuola e oferecida aos leitores do CafeTorah.© Rav J. Pietro B. Nardella Dellova, 43, Mestre em Direito pela USP (A Crise Sacrificial do Direito: um estudo de René Girard, Martin Buber e do Rabi Yeshua). Mestre em Ciências da Religião pela PUC/SP (A Palavra “Torá” Como Construção do Sagrado: um estudo à partir da Torá e da Poesia de Heidegger e Osman Lins). Pós-graduado em Direito Civil (Os Direitos da Personalidade). Pós-graduado em Literatura Brasileira (A Palavra Multifacetada: do grau zero e outros graus da palavra). Formado em Filosofia e em Direito. Poeta e Membro da União Brasileira de Escritores – UBE. Autor dos livros: AMO, NO PEITO e ADSUM, além de, co-autor em FIO DE ARIADNE. Ex-membro da Comissão de Bioética e Biodireito da OAB/SP. Darsham (predicatore) e Rav (Mestre) da Sinagoga Sêh HaElohim (originada da Sinagoga Scuola (Beit HaMidrash), Lazio, Itália). Membro ativo da Ordem dos Advogados do Brasil e da Associação dos Advogados de São Paulo. Consultor e Palestrista. Professor de Direito Civil, Ética e Filosofia do Direito em São Paulo. Coordenador dos Cursos de Pós-Graduação em Direito Empresarial e Judaismo: Direito, Torá e Cultura, das Faculdades FAJ e POLICAMP. Coordenador dos Cursos de Direito da Faculdade de Jaguariúna e da Faculdade Policamp, em SP.veja outros textos em:www.cafetorah.com (páginas de sabedoria judaica)veja outros textos em:www.faj.br/artigos.php – www.policamp.edu.br/artigos.html e-mail para contato:[email protected]
[email protected]