Mais vítimas da inquisição

Maria Fernandes de Aguilar

Maria Fernandes de Aguilar nasceu cerca de 1611 declarando a 24.12.1664 ter 55 anos de idade. Presa nos cárceres da inquisição de Évora acusada de judaísmo.

Casou com Diogo Mexia, «o bonito», cristão-velho morador em Campo Maior em 1664, filho de Francisco Mexia e de sua mulher Isabel Fernandes referidos acima.

Catarina Rodrigues Cacela

Catarina Rodrigues Cacela, nasceu em Campo Maior por volta de 1540, declarando em 1585 ter 45 anos de idade, onde foi baptizada pelo padre Vasco Gonçalves tendo por madrinha sua prima Leonor Rodrigues, e aí foi crismada. Presa nos cárceres da inquisição de Évora a 23.5.1585 acusada de judaísmo e condenada em auto de fé a 2.3.1586 a abjuração pública, cárcere e hábito penitencial perpétuo e instrução religiosa. A 27.3.1589 foi-lhe passado termo de ida(deportação) para onde lhe aprouvesse. O sumário do seu processo nos índices da Torre do Tombo refere que foi casada com João do Rego mas pela leitura do seu processo verifica-se que quem foi casada com João do Rego foi sua irmã Maria. Casou duas vezes: a 1ª com Fernão Rodrigues, cristão-novo de Coruche, criado do Rei, sem descendência; e a 2ª em 1585 em Santarém com Nicolau de Sousa, cristão-velho, sem descendência à data do processo.

Leonor Rodrigues Cacela

Leonor Rodrigues Cacela, nasceu em Campo Maior por volta de 1540, declarando em 1585 ter 45 anos de idade, onde foi baptizada, segundo declara e lhe parece pelo padre Lourenço do Rego Vasco Gonçalves tendo por madrinha Inês Fernandes, já falecida em 1585, e aí foi crismada pelo bispo D. Gomes. Presa nos cárceres da inquisição de Évora a 23.5.1585 acusada de judaísmo e condenada em auto de fé a 2.3.1586 a cárcere e hábito penitencial e arbítrio saiu em liberdade a 7.5.1586, declarando a sua genealogia a 6.12.1585. O sumário do seu processo nos índices da Torre do Tombo refere que foi casada com João do Rego mas pela leitura do seu processo verifica-se que quem foi casada com João do Rego foi sua irmã Maria. Casou com António Leitão, mercador, cristão-velho morador em Coruche, sem descendência.