Processo de Salvador Rodrigues de Faria

Tribunal do Santo Ofício, Inquisição de Lisboa, proc. 9395 Acusado de Judaísmo, é mineiro, natural do Rio de Janeiro e morador nas Minas de Jeroca, termo do Rio de Janeiro, tem 37 anos de idade, filho de Simão Farto Dinis, mercador, e de Luzia Rodrigues de Faria, ambos naturais do Rio de Janeiro e ele morador na Roça de Bacobaiba e ela na Jeroca, que os seus avós paternos se chamavam António Farto Dinis e Catarina Gomes, e o avô materno, Diogo Rodrigues de Faria, é solteiro, foi preso a 07 de Dezembro de 1734, tendo sido sentenciado em Auto de Fé, realizado na igreja do Convento de São Domingos, em Lisboa, sem data, com as penas de ir ao Auto de Fé na forma costumada, onde abjure em forma os seus erros heréticos, tenha cárcere e hábito penitencial perpétuo, tenha penas e penitências espirituais e instrução na Fé. Da excomunhão de que incorre seja absolvido. Recebeu Termo de Ida ( deportação ) e Penitências a 16 de Agosto de 1735.